blog brechó

O ano de 2017 me ensinou muitas coisas (como contei nesse post aqui) dentre elas uma, se destacou durante o ano. Me reconectei com meu estilo e aprendi a desenvolver melhor meu olhar para uma moda mais tranquila e sem pressa, ao contrário de como nos é dito a cada instante que deveríamos fazer. Imagine só, que fiquei um ano inteiro sem recorrer a lojas de departamentos e quando por ventura eu comprava alguma coisa era de brechó, feiras de antiguidades e pequenos produtores. Comprar roupas de brechós e feiras de antiguidades está longe de ser uma novidade para mim. Aprendi desde cedo que eu gostava dessa “aventura” de garimpar peças que continham histórias. E, durante esses muitos anos de garimpar uma peça aqui, outra acolá, acabei aprendendo algumas coisas sobre esse universo, e, são essas coisas que eu quero compartilhar com vocês nesse post. Vem comigo?!

É claro, que tudo que vou compartilhar com vocês são experiências pessoais. Erros e acertos que cometi. E entendo que essa realidade possa mudar um pouco dependendo do seu tipo de corpo e até mesmo da sua cidade (afinal eu considero os brechós do Rio bem mais baratos que os de Essepê, por exemplo). Por isso convido você a também deixar suas dicas nos comentários e a gente ir se ajudando. Mas ficarei muito feliz de poder ajudar alguém com essas dicas.

1. Descubra a sua necessidade.

Pô, ana! Sério ? Sério. É bem normal que quando comecemos nesse mundo paralelo de brechós a gente fique um pouco desnorteada com a quantidade de ”brusinhas”, vestidos, saias, calças e etc, que são vendidos por um preço muito mais barato do que estamos acostumados. E que por influência disso a gente acabe comprando coisas que não usamos (bem parecido com a indústria de fast fashion, não é?). Isso acontece porque estamos viciadas em “quantidade”, logo acabamos não nos atendando a coisas como as nossas necessidades, nosso estilo pessoal, nossa rotina, entre outras coisas. Por isso acabamos caindo naquela frase “ah mais é tão baratinho, apenas dois reais, quem sabe um dia eu use” e acaba que nunca usamos. Nunquinha. Está vendo ? São resquícios da nossa comodidade de comprar por impulso.  Porém, quando de fato nos atentamos às nossas necessidades a gente acaba fugindo desses tropeços.

E é aí que a coisa toda pode fluir de uma forma mais bacana e consciente, porque estamos pensando naquilo que realmente precisamos naquele momento. Por exemplo : Eu tenho poucas blusas em relação a quantidade de peças de baixo, então, quando vou sair para garimpar acabo me focando em blusas, camisetas, regatas e essas coisas. É claro que quando surge aquela calça de alfaiataria que eu sempre sonhei no meio dessa procura, acabo levando também. O caso aqui não é te privar de fazer compras, mas fazer boas compras e que atendam as necessidades do seu guarda-roupas para que você consiga usar tudo! Olha que lindo.

Vale anotar também em um bloquinhos ou no seu celular o que você está precisando naquele momento e aí conforme for achando, vai rabiscando e passando para o próximo item.

2. Mudar a forma como olhamos para uma roupa, faz diferença! Seja criativo.

O grande X da questão, não é verdade ?! No brechó as roupas em geral, não estão dispostas de forma organizada, separada por cores e muito menos estilo como nas lojas de departamento. Por isso às vezes ouvimos aquela frase “Ahhhh mas não tem nada que eu goste nos brechós.” ou “Nunca consigo algo no meu estilo.” // Tipo sério ? Nunca mesmo ? Ou será que é tão mais fácil para a gente, entrar em uma loja de departamento e facilmente ser guiado pela disposição prática e comercial das lojas que entregam tudo de bandeja feita para a gente ? Pois é.

Existem inúmeros estilos de brechós, alguns de fato são mais organizados que os outros. Mas em nenhum, nada vem de bandeja para você. Nananinanão! Em brechós, geralmente temos que caçar peças que possam se adequar ao nosso estilo, temos que tocar nas roupas, temos que OLHAR de fato para a roupa, temos que sentir se o tecido é bom ou já está muito puído, temos que ver se tem algum defeito que possa ser reversível, como um botão por exemplo. Temos que passar a mão por dez blusas que não nos agradam para chegar finalmente, ufa! amém, naquela linda blusa de inverno que estávamos precisando.

Mudar a forma que consumimos está atrelado a mudar nosso olhar viciado, também. E aí meu irmão, a criatividade vêm com tudo! Por que não transformar aquele vestido de vó em um cropped ou em uma saia ? Por que não pegar aquela blusa e fazê-la de regata ? Por que não transformar uma calça com uma mancha na parte de baixo em um short ou em uma saia ? Por que não comprar uma calça um pouco mais larga e apertar ? Por que não tingir uma blusa manchada ? Ou então, bordar em cima da mancha ? Entende ? São tantas possibilidades! Só cabe a você exercitá-la em ti. Uma das coisas que eu mais gosto no brechó é isso, a possibilidade da roupa. No que ela pode se transformar.

No começo pode ser um pouco difícil, mas aos poucos vamos entendendo melhor como que funciona e aí nada vai segurar você!  E ah! No fundo daquele monte de roupas sempre têm as melhores peças!

3. Tempo é primordial.

Como eu já disse ali em cima, as roupas nos brechós nem sempre são organizadas. Aliás a maioria dos brechós não são organizados. Por isso se dispor de um pouco de tempo é importante! Pense assim, se antes você queria uma blusa branca, você saia da sua casa ia na Renner, por exemplo e comprava a blusa branca. Certo ? No brechó esse sistema é um pouco diferente, primeiro porque encontrar blusas brancas em bom estado é algo difícil (note : difícil, não impossível!!!) e segundo porque ela pode estar no fundo de uma sacola que acabou de chegar no brechó.

Então, vale a pena você dispor um pouco do seu tempo para poder ir em um brechó e garimpar com calma, ou até mesmo ir em mais de um brechó no dia. Não tem tempo durante a semana ?! Vai no fim de semana ?! Não tem tempo a tarde ? Vai de manhã. E vice-versa. O importante é ter consciência de que boas peças são escolhidas com tempo de poder olhar tuuuuuuuuuudo, no brechó. É claro que você pode encontrar uma peça boa, ótima, supimpa de primeira! Já aconteceu comigo, mas nesses dias estamos com sorte! Não vale ser preguiçosa.

“aaaaaaaah mais clarinha!!! Não tenho tempo pra isso!!” Bom, se você não tem tempo para garimpar assim, posso te recomendar uma alternativa, que são brechós online (Vocês gostariam de posts com os meus brechós online favoritos ?!). Nos brechós Online uma outra pessoa já passou por esses três processos aí em cima! Fica mais fácil de consumir, peça única por um preço mais acessível. É uma alternativa. Mas pense que de qualquer forma, você vai precisar de tempo para escolher o que deseja.

4. Use seu estilo ao seu favor.

Hoje em dia eu compreendo melhor meu estilo e entendo a minha paleta de cores. Me sinto confortável com cores em tons terrosos, verde militar, vinho, branco, cinza, preto. Entendi também que algumas estampas, me interessam. Conforme fui me conhecendo, mais fui ampliando meu olhar. E o brechó é um ótimo exercício para isso. No brechó você vai encontrar TODOS os estilos de roupas. Sério, quando eu digo todos, é todos mesmo. De vestido paetê, a blazer masculino (que me atraem) até aquela peça super vintage. Dá para ser minimalista e comprar em brechó ? OH SE DÁ! Dá para ser super colorida e comprar em brechó ? Dá também! Dá para ser meio boho ? Sim!

A verdade é que quando temos consciência daquilo que gostamos, usamos isso a nosso favor. E no brechó isso acontece da mesma forma.  Hoje em dia quase que 80% dos looks que eu posto aqui (e no meu instagram) são inteiramente de brechós. Por isso, eu realmente acredito que você aí pode ter boas compras em brechó quando usa o seu estilo ao seu favor.

*

Consumir de brechó todos esses anos me ensinou que eu posso ser quem eu sou e ainda sim contribuir para uma moda mais consciente, ampla e devagar. Me ensinou que o brechó nunca é o fim e sim o começo, porque te abre um leque de possibilidades, onde eu posso entrar em contato com costureiras, por exemplo. Comprar em brechó me ensinou também, que tem dias que não irei conseguir comprar nada. E está tudo bem! Porque eu não dependo do “ato” de comprar para ser feliz ou descontar um estresse, pelo contrário, por se tratar de um processo mais lento eu compro aquilo que vai ser realmente necessário para mim e aí crio memórias felizes. 

Espero que vocês tenham gostado desse post e dessas dicas, se vocês gostaram me digam nos comentários! Não se esqueçam de contribuírem com as dicas de vocês, ok ?! ps : esse look é todo de brechó!

com amor,
Clara Rocha.

ENVIE POR WHATS APP TWEET ESSE POST SALVE NO PINTEREST POSTE NO FACEBOOK
esse post trata de:

Leia esses também

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

17 Comments

ENCONTRE-NOS

clararocha.cc leuxclair pinterest youtube