blog lifestyle

Era uma vez a muito e muito tempo atrás: uma menina que morava no alto de um morro e que amava viver em seu quarto (seu peculiar universo paralelo). Essa menina recebia muito amor de sua família e eles a apelidaram carinhosamente de cachinhos dourados por causa de seu cabelo, quando ela era mais nova. Ao se tornar uma nova adolescente essa menina decidiu abandonar seus cachos e fez sua primeira escova com química, e então foram incontáveis horas perdidas em salões, foram noites e dias fazendo uma escova e chapinha, foram dias em ela simplesmente não entrava na piscina pois teria um trabalho para fazer seu cabelo, foram noites que passava na frente do espelho para domá-lo e deixa-lo perfeito. Mais de dez anos se passaram e essa menina aqui, decidiu que seus cachos eram a mais pura forma de amor de Deus dizer que cada um tem sua beleza, e que aquela era a beleza dela. Então, ela decidiu que iria dar uma chance para que seus cachinhos voltassem a fazê-la feliz. Decidiu SE ACEITAR, decidiu que oras, todos tem suas características e que aquela era uma característica dela. Já que todos nós temos uma beleza, porque Deus, o universo, o DNA nos fez assim não tem porque mudá-lo permanentemente.

E…De repente, 10 anos depois de usar muuuuuuita química no cabelo, cá estou! Eu, euzinha…Eu que fui tão forte, corajosa e em alguns momentos tão assustada, estou aqui para compartilhar tudo isso com vocês. E tudo começa com o momento da transição capilar.

0000 Eu fiz a última escova progressiva em Novembro do ano passado (2014) e em Dezembro do mesmo ano, eu tomei a decisão de que não queria mais fazer escovas progressivas em meu cabelo. Mas não pensem vocês que foi fácil! Eu estava em uma época de muito estresse pois, dezembro é um mês muito importante pro setor do comércio (onde eu trabalho). E, eu tomei essa decisão por causa de alguns motivos:

O primeiro foi que meu cabelo estava caindo muito, e minha raiz ficava sempre doendo.

O segundo foi como já falei dezembro é muito estresse no comércio, e eu acordava SEIS/Sete horas da manhã para fazer CHAPINHA no cabelo antes de ir para o  trabalho e só voltava para casa onze horas da noite. E  essa minha rotina era de 3 em 3 dias. Depois disso eu estava esgotada, eu me sentia MUITO cansada e não queria mais fazer chapinha pois estava me fazendo mal.

O terceiro motivo não é bem um motivo, mas eu comecei a ver muitos vídeos de meninas que passaram ou que estavam passando pela transição capilar, comecei a ler blogs de meninas que estavam aceitando seu cabelo natural, e isso foi me dando forças e me motivando para que eu tomasse essa decisão. Então quando minha amiga linda Bárbara em um dia virou pra mim e falou “AHHHHH CANSEI não quero mais, não aguento mais fazer chapinha no cabelo, é dezembro, está calor, eu estou dobrando não quero mais isso ! Vou deixar meu cabelo natural.” Eu achei que era o momento de também fazer a mudança na minha vida. E assim começou a minha transição capilar.

001 002

Nessas fotos eu estava no meu 4 mês de transição capilar. E, eu decidi que iria esperar até as férias desse ano para cortar meu cabelo(Fazer o meu BIG CHOP). Quando eu faço a retrospectiva de todo o processo na minha mente eu penso em como foi difícil em alguns momentos. Não de uma forma ruim…Como posso explicar, eu fui muito decidida de que eu queria fazer em um tempo X e de uma forma X, mesmo que algumas vezes eu pensasse em cortar logo de uma vez, eu fui forte em aguentar todo esse tempo.

No quinto mês de transição capilar minha amiga Bárbara que já citei ali em cima fez o BIG CHOP dela, e eu pensei : Uaaaau daqui a pouco vai ser a minha vez. Espero que seja tão libertador quanto foi para ela. Foi um momento em que eu senti muito orgulho dela e muito orgulho de mim também por estar resistindo tanto tempo, com muita paciência. É o que dizem né ? Paciência é uma virtude. Eu esperei por muito tempo e fui recompensada nesse processo.

0030506

Eu aprendi muitas coisas durante todo o processo de transição capilar e muitas coisas tem a ver com o meu íntimo, com a minha interiorização. Eu pude refletir sobre muitas coisas nesse período de Onze meses. Aprendi que se aceitar do jeito que você é, vai muito além de estar na moda (como algumas pessoas dizem). É você olhar para dentro de si e para fora e ver o quão bonita você é aos olhos das pessoas que te amam. Durante 11 meses vi muitos depoimentos, como os da Márcia PachecoNina Gabriella, entre muitaaaaaaas e muitas (mesmo) outras meninas que falavam sobre aceitação e autoestima. E isso me fez bem. O ato de se aceitar gera em você uma força muito maior do que imaginamos e ele te motiva a ir além de ser ”só o cabelo”, vai também em como você se comporta, e os questionamentos que você faz. Enfim, isso dá um outro post.

Durante 11 meses o penteado que eu mais usei foi um Rabo de cavalo, e a maior parte das vezes eu o prendia molhado para que não ficasse nenhum fio para cima, pois no meu trabalho não pode ficar de cabelo solto abaixo do ombro. E esse foi o penteado que me gerou muita dor de cabeça durante Onze meses, mas foi também o penteado que me fazia ter forças pois aquilo ia acabar. E acabou \o/

OJUI0518

No dia 2 de Outubro de 2015 eu fiz o meu Big Chop! E eu nunca me senti tão bem, tão feliz, tão LIVRE como eu me sinto agora. Eu realmente estou muito feliz de poder compartilhar isso com vocês. Eu espero que isso motive mais meninas a também passarem pela transição capilar. Porque eu tenho certeza, nada no mundo é melhor do que você estar se sentindo bem consigo mesma. Eu olho para mim no espelho hoje e me sinto bem, me sinto feliz, como cada cachinho é um sinal de muito amor e quando penso no rabo de cavalo que eu sentia dor eu o vejo como um símbolo de muuuuuuuuuita força e resistência.

02 03 04 05 06 08 09 10

Eu estou com recentes 20 dias de big chop, e meu cabelo se comporta de várias maneiras. Estou re-aprendendo muitas coisas sobre ele, entendendo sua textura, vendo como os cachinhos se comportam no calor ou no frio, na praia ou no vento, como cuidar, tudo isso é uma novidade para mim e espero poder aprender muitas coisas com vocês e compartilhar muitas coisas. Esse é o resultado de tanta espera, de 11 meses de transição e de muita força.

Desculpem pelo post gigantesco, eu realmente precisava compartilhar tudo isso com vocês. Muito obrigada a todos que leram até o final. Obrigada as pessoas que me amam e estão do meu lado que me deram MUITA força nesse tempo todo, obrigada ao salão de beleza envolvido no processo do corte do meu cabelo, por ter sido muito gentil comigo. Eu não tenho palavras para descrever o quão bom é poder ter meus cachinhos de volta. E se você está em dúvida eu te digo seja livre #befree e #cacheia.

Espero que tenham gostado do post, me deixem saber nos comentários se vocês já passaram pela transição, quais foram suas motivações. QUERO SABER TUDO, me contem e compartilhem se vocês gostaram do post. Obrigada <3

ENVIE POR WHATS APP TWEET ESSE POST SALVE NO PINTEREST POSTE NO FACEBOOK
esse post trata de:

Leia esses também

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

103 Comments

ENCONTRE-NOS

clararocha.cc leuxclair pinterest youtube